News Noticias
recent

A Esperança não Engana (cf. Rom 5,1-5)

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Desde a infância, somos ensinados que não é uma coisa agradável de se vangloriar. Na minha terra, aqueles que se gabam chamá-los de "pavões". E é certo, porque se gabar sobre o que você é ou o que você tem, bem como um certo orgulho, também denuncia uma falta de respeito para com os outros, especialmente para aqueles que são menos afortunados do que nós. Neste trecho da Carta aos Romanos, no entanto, o apóstolo Paulo nos surpreende, pois por duas vezes nos exorta a se gabar. O que então é certo para se gabar? Porque se ele apela para se gabar, algo é certo para se vangloriar. E como eu posso fazer isso sem ofender os outros, sem excluir ninguém?

No primeiro caso, somos convidados a gabar-se da abundância da graça de que estão imbuídos em Jesus Cristo , pela fé. Paulo quer que entender que, se aprendemos a ler tudo à luz do Espírito Santo, percebemos que tudo é graça! Tudo é um presente! Se prestarmos atenção, de fato, de agir - na história, como em nossas vidas -. Não apenas nós, mas Deus está acima de tudo o que Ele é o protagonista principal, que cria tudo como um dom de amor, que tece a trama de sua plano de salvação, e que leva a cumprimento por nós, através de seu Filho, Jesus. somos obrigados a reconhecer tudo isso, a aceitá-la com gratidão e para torná-lo resultará em louvor, bênção e grande alegria. Se fizermos isso, estamos em paz com Deus e nós experimentar a liberdade. E essa paz, em seguida, estende-se a todas as áreas e todos os relacionamentos em nossas vidas: estamos em paz com nós mesmos, estamos em paz na família, na nossa comunidade, e trabalhar com as pessoas que encontramos todos os dias em nosso caminho.

Mas Paul insta também possuem em nossos sofrimentos . Isto não é fácil de compreender. Que há mais difícil e pode parecer não ter nada a ver com a condição de paz que acabamos de descrever. Em vez disso, é o mais autêntico em mente, mais verdadeiro. Na verdade, a paz que nos oferece e nos dá o Senhor não deve ser entendida como a ausência de preocupações, decepções, fracassos, as causas do sofrimento. Se fosse assim, se pudéssemos estar em paz, que o tempo iria acabar em breve e inevitavelmente iria cair em desordem. A paz que vem da fé em vez disso é um presente: é a graça de experimentar que Deus nos ama e que há sempre próxima, vamos não só não é um momento de nossas vidas. E isso, como diz o Apóstolo, gera paciência, porque nós sabemos que, mesmo nos momentos mais difíceis e chocante, misericórdia e bondade do Senhor são a maior de todas as coisas e nada vai rasgar de suas mãos e da comunhão com Ele .

É por isso que a esperança cristã é sólido, por que ele não decepciona . Ele nunca desilude. se a esperança não decepciona! Não é baseado no que podemos fazer ou ser, nem sobre o que em que podemos acreditar. Sua fundação, que é o fundamento da esperança cristã, é o que o fiel e segura mais vai estar lá, ou seja, o amor que Deus tem para cada um de nós. É fácil dizer: Deus nos ama. Tudo o que dizemos. Mas basta pensar ': cada um de nós é capaz de dizer: Estou certo de que Deus me ama? Não é tão fácil de dizer. Mas é verdade. É um bom exercício, isto, dizer para si mesmo: Deus me ama. Esta é a raiz da nossa segurança, a raiz da esperança. E o Senhor abundantemente derramado em nossos corações o Espírito - que é o amor de Deus - como um artesão, como garante, porque ele vai nutrir em nós a fé e manter a esperança viva. E esta certeza: Deus me ama. "Mas agora mal?" - Deus me ama. "E para mim, eu fiz essa coisa feia e ruim?" - Deus me ama. Mas para remover a nenhuma segurança lá. E nós temos a repeti-la como uma oração: Deus me ama. Estou certo de que Deus me ama. Tenho certeza que Deus me ama.

Agora entendemos por que o apóstolo Paulo nos exorta a sempre comentando sobre tudo isso. Eu amo o orgulho de Deus, porque ele me ama. A esperança que nos foi dada não nos separam de outros, nem leva a desacreditar ou marginalizá-los. Em vez disso, é um presente extraordinário para o qual somos chamados a tornar-se "canais", com humildade e simplicidade, para todos. Assim, o nosso maior orgulho é ter como um Deus Pai que não tem favoritos, que não exclui ninguém, mas abrir sua casa para todos os seres humanos, começando com o último e, de longe, porque, como seus filhos aprendemos para consolar e apoiar uns aos outros. E não se esqueça: a esperança não decepciona.

Fonte: Vatican.va

"Deus vos abençoe!!!"
Fundador Gleydson do Blog Verbo Pai
Verbo Pai

Verbo Pai

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.