News Noticias
recent

Segunda Domingo do Advento: um batismo de conversão para o perdão dos pecados. (Lc 3,3)

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Nesta segunda Domingo do Advento, a liturgia nos convida ao ensino de João Batista, que pregava "um batismo de conversão para o perdão dos pecados" (Lc 3,3). E podemos nos perguntar: "Por que devemos converter? A conversão é sobre quem se torna um crente ateu, como um pecador fazer o certo, mas nós não precisamos, nós já somos cristãos! Então, nós vamos buscá-la. " E isso não é verdade. Pensando assim, não nos damos conta de que é a partir dessa suposição - de que somos cristãos, tudo bem, que vamos obtê-lo - que deve ser convertido: o pressuposto de que, no cômputo geral, isso é bom e nós não precisamos de qualquer conversão. Mas vamos nos perguntar: é verdade que em várias situações e circunstâncias de vida que temos em nós os mesmos sentimentos de Jesus? É verdade que ouvimos como Jesus se sente? Por exemplo, quando sofremos algum errado ou alguma afronta, podemos reagir sem animosidade de coração e perdoar aqueles que pedir seu perdão? Quão difícil é perdoar! Quão difícil! "Você vai pagar!": Esta palavra vem de dentro! Quando somos chamados a compartilhar suas alegrias e tristezas, sinceramente chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram? Quando expressamos nossa fé, nós fazemo-lo com coragem e simplicidade, sem ser envergonho do evangelho? E assim podemos ter um monte de perguntas. Nós não estão no lugar, sempre se arrepender, ter os sentimentos que Jesus tinha.

A voz do Batista chora até mesmo no deserto de hoje da humanidade, que são - o que são os desertos de hoje? - As mentes e corações fechados rígidos, e nos leva a perguntar se de fato estamos indo no caminho certo, vivendo uma vida segundo o Evangelho. Hoje, como então, ele adverte-nos com as palavras do profeta Isaías: "Preparai o caminho do Senhor!" (V. 4). É um premente convite a abrir o coração e aceitar a salvação que Deus oferece-nos incessantemente, quase obstinadamente, porque leva tudo livre da escravidão do pecado. Mas o texto do profeta expande aquela voz, anunciando que "toda a carne verá a salvação de Deus" (v. 6). E a salvação é oferecida a todos os homens e todos os povos, sem exceção, a todos nós. Nenhum de nós pode dizer: "Eu sou santo, estou perfeito, eu já salvas." Não. Mais uma vez temos de aceitar esta oferta de salvação. E para isso o ano de misericórdia: ir mais longe neste caminho da salvação, o caminho que Jesus nos ensinou que Deus quer que todos os homens sejam salvos através de Jesus Cristo, o único mediador (cf.. 1 Tm 2 , 4-6).

Portanto cada um de nós é chamado a tornar Jesus conhecido por aqueles que ainda não o conhecem. Mas isso não é para fazer proselitismo. Não, ele abre uma porta. "Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho!" (1 Cor 09:16), St. Paul declarou. Se no Senhor Jesus mudou a minha vida, e não as mudanças cada vez que vamos a ele, como não sentir a paixão para torná-lo conhecido de todos nós nos encontramos no trabalho, na escola, no prédio, no hospital, nos locais? Se olharmos ao redor, encontramos pessoas que estariam disponíveis para iniciar ou reiniciar um caminho de fé, se você encontrar de cristãos no amor com Jesus. Nós não deve e não podíamos ser nós os cristãos? Deixo a pergunta: "Mas eu realmente me apaixonei por Jesus? Estou convencido de que Jesus dá-me e dá-me a salvação? ". E, se eu estou apaixonada, eu tenho que saber. Mas temos de ser corajosos: montanhas mais baixas do orgulho e da rivalidade, preencher sulcos cavados por indiferença e apatia, endireitar os caminhos da nossa preguiça e os nossos compromissos.

Que a Virgem Maria, que é Mãe e sabe como fazê-lo, para quebrar as barreiras e obstáculos que impedem a nossa conversão, que é o nosso caminho para o Senhor. Ele sozinho, sozinho Jesus pode dar cumprimento a todas as esperanças de homem!

Depois do Angelus

Queridos irmãos e irmãs,

Eu sigo com grande atenção o trabalho da Conferência sobre as Alterações Climáticas a ser realizada em Paris, e eu me lembro de uma pergunta que fiz na Encíclica Louvado seja '' Que tipo de mundo que queremos passar para aqueles que virão depois de nós, para crianças Eles estão crescendo? "(n. 160). Para o bem da casa comum de todos nós e as futuras gerações, em Paris todos os esforços devem ser destinadas a mitigar os impactos da mudança climática e, ao mesmo tempo, para combater a pobreza e dignidade humana para florescer. As duas opções andam juntos: parar a mudança climática eo combate à pobreza para o florescimento da dignidade humana. Rezemos para que o Espírito Santo ilumine todos os que são chamados a tomar decisões tão importantes e dar-lhes a coragem de manter como critério de escolha para o bem maior de toda a família humana.

Amanhã marca o quinquagésimo aniversário de um evento memorável entre católicos e ortodoxos. Em 7 de dezembro de 1965, às vésperas da conclusão do Concílio Vaticano II, com uma Declaração Conjunta do Papa Paulo VI e Patriarca Ecumênico Atenágoras, foram eliminados da memória as sentenças de excomunhão trocadas entre a Igreja de Roma e de Constantinopla em 1054. It ' realmente providencial que o gesto histórico de reconciliação, que criou as condições para um novo diálogo entre ortodoxos e católicos no amor e na verdade, é lembrado no início do Jubileu da Misericórdia. Há autêntico caminho rumo à unidade sem pedir perdão a Deus e uns aos outros, para o pecado da divisão. Lembremo-nos em nossas orações o primeiro Patriarca Ecumênico Bartolomeu e os outros chefes das Igrejas ortodoxas, e pedimos ao Senhor que as relações entre católicos e ortodoxos sejam sempre inspiradas no amor fraterno.

Ontem, em Chimbote (Peru), foram beatificados Michael Tomaszek e Zbigniew Strzalkowski, Franciscanos Conventuais, e Alessandro Dordi, fidei donum, morto por ódio à fé em 1991. A lealdade desses mártires no seguimento de Cristo dará força a todos nós mas especialmente os cristãos perseguidos em diferentes partes do mundo, para dar testemunho corajoso do Evangelho.

Saúdo todos vós, peregrinos que vieram da Itália e de outros países - existem várias bandeiras - em particular o coro litúrgico do Milherós de Poiares e os fiéis de Casal de Cambra, Portugal. Saúdo os participantes da conferência do Movimento de compromisso educativo da Ação Católica, os fiéis de Biella, Milão, Cusano Milanino, Netuno, Rocca di Papa e Foggia; os membros confirmados de Roncone e candidatos confirmação Settimello, a banda de Calangianus e do Coral de Taio.

Desejo a todos um bom domingo e uma boa preparação para o início do Ano da Misericórdia. Por favor, não se esqueça de orar por mim. Bom almoço e adeus!

___________
Fonte

"Deus vos abençoe!!!"
Fundador Gleydson do Blog Verbo Pai
Verbo Pai

Verbo Pai

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.