News Noticias
recent

"Rezar mesmo quando Deus parece não Responder", pede Bento XVI



“A oração que Jesus pronuncia enquanto é retirada a pedra da entrada sepultura de Lázaro apresenta um desenvolvimento singular e inesperado. Ele, de fato, após ter agradecido a Deus Pai, complementa: "Eu bem sei que sempre me ouves, mas falo assim por causa do povo que está em roda, para que creiam que tu me enviaste" (Jo 11,42).
Com a sua oração, Jesus quer conduzir à fé, à confiança total em Deus e na Sua vontade, e quer mostrar que este Deus que tanto amou o homem e o mundo a ponto de mandar Seu Filho unigênito (cf. Jo 3,16) é o Deus da vida, que leva esperança e é capaz de derrubar as situações humanamente impossíveis. A oração confiante de um crente, portanto, é um testemunho vivo dessa presença de Deus no mundo, do seu interessar-se pelo homem, do seu agir para realizar o seu plano de salvação.

As duas orações de Jesus meditadas agora, que acompanham a cura do surdo-mudo e a ressurreição de Lázaro, revelam que o profundo laço entre o amor a Deus e o amor ao próximo deve entrar também na nossa oração. Em Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, a atenção pelo outro, especialmente se necessitado e sofredor, o comover-se frente à dor de uma família amiga, levam-nO a dirigir-se ao Pai, naquela relação fundamental que guia toda a sua vida. Mas também vice-versa: a comunhão com o Pai, o diálogo constante com Ele, impele Jesus a estar atento de modo único às situações concretas do homem, para levar a ele a consolação e o amor de Deus. A relação com o homem guia-nos rumo à relação com Deus, e a relação com Deus guia-nos novamente à relação com o próximo.” (Papa Bento XVI, Catequese de Bento XVI sobre Jesus e a oração - 2011)

Deus nos vê, Deus escuta a nossa oração, o nosso clamor, porque nós não adoramos um Deus morto como alguns irmãos dizem por aí. Graças a Deus a Renovação Carismática veio trazer para nós esta experiência de louvor, de adorar a Deus com todas as nossas forças e com o nosso coração. “Eis o que diz o Senhor, Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas. Por isso vou curar-te.”

“Naquele tempo, Ezequias foi atingido por uma enfermidade mortal. Veio o profeta Isaías, filho de Amós, ter com ele e disse-lhe: Eis o que diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque vais morrer; não sararás. Então Ezequias voltou-se para o lado da parede e orou ao Senhor, dizendo: Senhor, lembrai-vos de que andei fielmente diante de vós, e de que com lealdade de coração fiz o que é bom aos vossos olhos. E, dizendo isso, derramava abundantes lágrimas. Isaías não tinha ainda deixado o átrio interior, quando a palavra do Senhor lhe foi dirigida nestes termos: Volta e dize a Ezequias, chefe de meu povo: Eis o que diz o Senhor, Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas. Por isso vou curar-te. Dentro de três dias subirás ao templo do Senhor." (II Reis 20, 1-5)

Em todas as circunstancia devemos louvar a Deus. Mesmo na morte, Deus seja louvado. Mesmo na hora do sofrimento nós estamos com um Deus que é vivo, um Deus que venceu a morte, Ele está vivo. O Senhor deseja amar e salvar a todos nós. Então diga no íntimo do seu coração: Salva-me, Senhor! Ama-me, Senhor, perdoa-me! Cura-me, lava-me, sonda o meu coração e livra-me das minhas lepras, dos meus pecados, dos pesos que carrego sobre mim. Visita, Senhor, o meu coração, as áreas escondidas e salva-me.

"Deus vos abençoe!!!"
Fundador Gleydson do Blog Verbo Pai
Verbo Pai

Verbo Pai

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.