News Noticias
recent

Homilia da Festa do Batismo do Senhor


Queridos irmãos e irmãs,

Fico feliz em dar-lhe uma recepção calorosa, especialmente seus pais e padrinhos dos 21 recém-nascidos que, por um instante, terei a alegria de administrar o Sacramento do Batismo. Como já se tornou tradição, esse ritual acontece novamente este ano na Santa Eucaristia que celebramos o Batismo do Senhor. Este é o dia em que o primeiro domingo após a festa de " Epiphany , fecha a temporada de Natal com a manifestação do Senhor no Jordão.

De acordo com a história do evangelista Mateus (3:13-17), Jesus veio da Galiléia ao rio Jordão para ser batizado por João, na verdade, toda a Palestina se reuniram para ouvir a pregação do grande profeta, o anúncio de ' vinda do Reino de Deus e ser batizado, ou seja, submeter-se a esta penitência que o apelo à conversão do pecado. Ao chamar o batismo, não era o rito sacramental, que hoje celebramos, como você bem sabe, é na verdade a sua morte e ressurreição que Jesus instituiu os sacramentos da Igreja e dá a luz. O administrado por João, foi um ato de arrependimento, um ato que chamou a humildade diante de Deus, chamados para um novo começo: que mergulham na água, tendo reconhecido o pecado arrependido, pedir a Deus para a purificação de seus pecados e foi enviado para alterar o comportamento ruim, quase morrendo na água, e subindo para uma nova vida.

Assim, quando o Batista viu Jesus, de acordo com os pecadores, é para ser batizado, fica atordoado, reconhecendo-o como o Messias, o Santo de Deus, Aquele que estiver sem pecado, John expressa sua confusão: ele próprio, Batista quis ser batizado por Jesus, mas Jesus diz para ele não resistir, acordam em proceder a este acto, a operar aquilo que é conveniente para "cumprir toda justiça". Com estas palavras, Jesus mostra que veio ao mundo para fazer a vontade daquele que o enviou para fazer tudo o que o Pai lhe pediu, em obediência ao Pai é que ele concordou em se tornar um homem. Esse primeiro ato revela que Jesus é o Filho de Deus, verdadeiro Deus como o Pai é Aquele que "humilhou" tornar-se um de nós, Ele que Se fez homem e decidiu humilhar-se à morte na cruz (cf. Fl 2,7). O batismo de Jesus, cuja memória recordamos hoje, se encaixa nessa lógica de humildade e solidariedade: o ato de quem quer estar ao redor de nós e realmente entra na fila com os pecadores, Ele que é sem pecado, você deixa tratado como um pecador (cf. 2 Cor 5,21), para realizar sobre os seus ombros o peso da culpa de toda a humanidade, incluindo a nossa própria culpa. É o "servo de Deus" que nós falamos na primeira leitura o profeta Isaías (cf. 42,1). Sua humildade é ditada por nosso desejo de estabelecer a plena comunhão com a humanidade, o desejo de alcançar a verdadeira solidariedade para com o homem e sua condição. "O gesto de Jesus de antecipar a cruz, a aceitação da morte por nossos pecados. Este ato de redução, em que Jesus quer se conformar totalmente com o plano do Pai amoroso e reunir connosco, mostra a perfeita harmonia de vontade e propósito que existe entre as pessoas da Santíssima Trindade. Por este ato de amor, o Espírito de Deus se manifesta e é como uma pomba sobre Ele, e naquele momento o amor que une o Pai é Jesus testemunhou os participantes do batismo uma voz do alto que todos ouvem . O Pai revelado aos homens abertamente para nós, a comunhão profunda que une ele ao Filho: a voz que ressoa a partir afirma que Jesus é totalmente obediente ao Pai e que esta obediência é uma expressão do amor que os une . Portanto, o Pai coloca o seu prazer em Jesus, o Filho de agir, porque reconhece o desejo de seguir em tudo a sua vontade: "Este é meu filho, meu amado em quem me comprazo" ( Mt 3 17). Ele também faz alusão à palavra do Pai, antecipadamente, a vitória da ressurreição e nos diz como devemos viver para a complacência do Pai, comportando-se como Jesus

Queridos pais: o Batismo lhe pedir hoje para suas crianças, coloca-los nessa troca mútua de amor entre Deus que é Pai, do Filho e do Espírito Santo, pois estou indo fazer este gesto, varre -lhes o amor de Deus, cheias de seus dons. Através da lavagem da água, os seus filhos fazem parte da vida de Jesus, que morreu na cruz para nos libertar do pecado e subindo, ele venceu a morte. Então, espiritualmente imersos em sua morte e ressurreição, eles são libertados do pecado original e começar sua vida de graça, que é a própria vida de Jesus ressuscitado. "Ele - disse St. Paul - se entregou por nós para nos resgatar de toda maldade e tornar-se um povo puro, que lhe pertence, zeloso de boas obras" ( Tito 2:14).

Caros amigos, dando-nos a fé, o Senhor deu-nos o que é mais precioso na vida, e é por isso mais real e mais bonito para viver: é pela graça que nós acreditamos em Deus, sabemos que o seu amor , ele quer nos salvar e nos libertar do mal. A fé é o grande dom com o qual também nos dá a vida eterna, a vida verdadeira. Agora vocês, queridos pais, padrinhos, pergunte a Igreja a aceitar estas crianças no seu seio, dar-lhes o batismo, e fazer este pedido por causa do dom da fé que vocês têm, por sua vez, recebeu. Com o profeta Isaías, todo cristão pode dizer: "O Senhor tem me dado forma, seu servo, desde o ventre" (cf. 49,5), assim, queridos pais, seus filhos são um dom precioso do Senhor, que reservou seus próprios corações, para ser capaz de aterramento com seu amor. Através do sacramento do Baptismo, já consagra-los e convida-los a seguir Jesus, através da realização de sua vocação de acordo com a concepção particular de amor que o Pai tem em mente para cada um deles; objetivo desta peregrinação terrena será a plena comunhão com ele em eterna felicidade.

Pelo Batismo, essas crianças recebem o dom de uma "personagem" espiritual selo indelével, que marca para sempre dentro de sua filiação no Senhor e torná-los membros vivos do seu Corpo místico, que é a Igreja. Apesar de fazer parte do Povo de Deus, para estas crianças, uma jornada que começa hoje deve ser um caminho de santidade e de conformidade com Jesus, uma realidade que é colocado por eles como a semente de uma árvore bonita, que deve ser feito crescer. Portanto, compreender a magnitude deste dom desde os primeiros séculos, teve a gentileza de dar o batismo às crianças desde o nascimento. Certamente, há também vai precisar de adesão livre e consciente a esta vida de fé e amor, e é por isso que é necessário que, após o batismo, eles serão educados na fé, educada de acordo com a sabedoria da Escritura e da ensinamentos da Igreja, de modo que esta semente crescer na sua fé, eles estão recebendo hoje e pode chegar a plena maturidade cristã. A Igreja, que acolhe entre os seus filhos, é responsável, juntamente com os pais e padrinhos, para acompanhá-los neste caminho de crescimento. A colaboração entre a comunidade cristã e da família é muito necessária no atual contexto social, em que a instituição família é ameaçada de muitos lados, e é de enfrentar muitas dificuldades em sua missão de educar a fé. A falta de referências culturais e estável a rápida transformação que está continuamente sujeita a empresa, tornando-compromisso muito difícil para a educação. Portanto, é necessário que as paróquias cada vez mais vai se esforçar para sustentar a família, as igrejas pequena casa na sua tarefa de transmitir a fé.

Queridos pais, agradeço ao Senhor com você para o dom do batismo desses teus filhos, como nós rezamos para eles, nós invocamos o dom abundante do Espírito Santo, que agora dedica-los à imagem de Cristo como profeta, sacerdote e rei. Confiemos à intercessão maternal de Maria, pedimos a sua vida e saúde para que eles possam crescer e amadurecer na fé e trazer, com suas vidas, os frutos de santidade e amor. Amém!


""Deus vos abençoe!!!"
Fundador Gleydson do Blog Verbo Pai
Verbo Pai

Verbo Pai

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.